sexta-feira, 13 de abril de 2012

Livro: Eu, Christiane F. treze anos, drogada, prostituída.

17 comentários

Li este livro de Kai Hermann e Horst Rieck, recentemente. Os autores são jornalistas alemães, que entrevistaram Christiane em 1978, quando ela tinha apenas 15 anos e depunha como testemunha em um tribunal em Berlim.

A historia de Christiane começa quando sua família passa a morar no conjunto Groupios , em Berlim. Ela começa a freqüentar o centro de jovens, e uma discoteca, o Sound,  querendo muito ser aceita em uma turma, começa a fumar maconha, e assim seu vicio cresce, da maconha, para o LSD, calmantes, estimulantes... Quando uma nova droga surge na cidade, a Heroína. Christiane passa a ser uma toxicômana, viciada psicologicamente e fisicamente, ela e seu namorado Detlef , faziam muitos planos de se desligar da droga, mas nunca o faziam. Detlef se prostituía com homossexuais para conseguir dinheiro suficiente para ele e para Christiane, quando chega a um ponto de nada ser o suficiente, e ela também começar a se prostituir, mas no começo ela só estimulava os caras, não chegava ao ato sexual.
Foram muitas as vezes de tentativa de reabilitação de Christiane, muitos centros anti-drogas, hospitais. Mas ela sempre acabava fugindo e voltando a se “picar”.

Muito 10 o livro, mostra todos os efeitos da droga, como a pessoa se sente, todas as gírias por eles usadas, mostra como é uma crise de privação da droga, todas as sensações... Enfim, você sai , totalmente do seu universo, e entra no universo da droga e da prostituição. É uma sensação extraordinária, fugir da sua realidade, e ir para outra, e passar a ver a sociedade de outra maneira. Ver que esse universo podre, sujo, existe. Nos deixa revoltados ...  A história também, em algumas partes, é contada por sua mãe, relata todo seu sofrimento...
Uma visão critica, em uma história verídica como essa tem muito a acrescentar em nossas vidas! Vale super a pena!

Ahhh, também tem o filme deste livro, ainda não assisti, mas quem assistiu disse que é muito forte, porém muito interessante tanto quanto o livro.
Agora estou lendo Hilda Furacão de Roberto Drummond, é um romance brasileiro, um pouco antigo, que teve uma série sobre ele. Estou gostando...

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

aii sim hein ...

12 comentários

dá pra ler ? aqui melhor:
"Queria
ser presidente por um dia. Faria uma lei que anulasse o carnaval em 
prol da nação. Argumentos lógicos não me faltam: Diminuição de 
acidentes; menor índice de HIV positivo; melhorar imagem do país no 
exterior; cortar semana ociosa para que aumentemos nossa renda; 
valorizar a imagem da mulher brasileira; investir os 2 bilhões por ano 
do carnaval em educação; diminuir consumo de drogas nesse período....
.
Acho
que não teria o apoio popular pra isso. Já tivemos presidentes que 
afundaram a educação, a habitação, a reforma agrária, a inflação, a 
renda familiar, os empregos, e até mesmo presidente que roubou nossa 
poupança. Ninguém reclamou. Porém se eu acabasse com o carnaval 
certamente me matariam.
.
Mesmo sabendo o risco que corro, 
aceitaria essa missão suicida, afinal, é melhor morrer no país do 
carnaval do que viver no carnaval desse pais." 

Leia mais: http://adrenaline.uol.com.br/forum/geral/385690-texto-do-danilo-gentili-sobre-o.html#ixzz1n20E3O8D


peço desculpas pela demora pra postar, e pelas visitas não retribuídas, estou sem internet em casa, por isso, só de vez em quando mesmo s: maas, eu vou voltar (yn)- beijos. comentem...

sábado, 21 de janeiro de 2012

OOOOOOOOOOOO 2012 vae ser bão !

16 comentários
CRIE , RECRIE E SEJA VOCÊ.








Te ligar de madrugada sem saber o que dizer
Esperando ouvir sua voz e você nem me atender
Nem ao menos pra dizer:
Que não vai voltar

Não vai tentar me entender
Que eu não fui nada pra você
Que eu deveria te deixar em paz
Eu já não sei mais
Não sei viver sem ter você
Hoje eu queria te esquecer
Mas quanto mais eu tento, mais eu lembro
Não sei viver sem ter você